Instruções para o exame: FISH PARA C-MYC

Exigência Descrição
Observações
  • A amostra deverá ser, obrigatoriamente, acompanhada de uma cópia do laudo histopatológico e requisição médica;
  • A amostra enviada deve conter áreas suficientes e viáveis de tumor para a análise.
Materiais
  • Biópsia tumoral em bloco de parafina
Conservantes

Bloco de Parafina

Conservação

Bloco de parafina: Deve ser enviado em temperatura ambiente. Durante o envio, os blocos devem ser acondicionados em embalagens fechadas, que permitam proteger o material de deformações mecânicas e calor.

Critérios de Rejeição
  • BLOCO DE PARAFINA: Amostra processada com fixadores metálicos (B4 e B5)
  • Descalcificação óssea (medula)
  • Amostras sem identificação
  • Amostras sem solicitação médica
  • Amostras que não se enquadram nos critérios de qualidade interna após avaliação pelo patologista responsável.
Documentos Obrigatórios
Última Atualização

02/04/2019

Metodologia

A metodologia usada no exame é Hibridização "in situ" Fluorescente.

A Hibridização "in situ" Fluorescente (FISH) é uma técnica que utiliza sondas de DNA de um gene ou região de interesse marcadas com fluoróforos e o seu resultado é avaliado em microscópio de fluorescência com filtros de luz específicos para cada sonda utilizada no exame. A metodologia de FISH tem por objetivo identificar alterações cromossômicas específicas como translocações, deleções, amplificações, etc.

Limitações do exame

É necessário o conhecimento da região específica a ser analisada, pois esta metodologia não detecta outras alterações não envolvidas na região pesquisada.

Para coleta de exames, é obrigatória a apresentação de documento original oficial com foto, de acordo com a resolução RDC/ANVISA N° 302.

Informamos que a validade das informações dessa mensagem é de 5 (cinco) dias úteis após sua geração. Para mais informações ou dúvidas, estamos sempre à disposição em nossos canais de atendimento abaixo ou via e-mail pelo atendimento@genomika.com.br.